Descomplicando investimentos: conheça os termos técnicos

Dentro do mercado financeiro existem inúmeros termos técnicos, e para que você possa transitar com segurança e fazer boas transações é indicado que entenda sobre eles.

Pode ser muito confuso, principalmente para investidores iniciantes, ainda mais em razão da maior parte das terminologias serem em inglês. Mas estamos aqui para te ajudar com um pequeno dicionário com os termos e suas respectivas explicações. Confira!

Abertura: se refere à primeira cotação do primeiro negócio do dia, pode ser uma ação, um contrato futuro, etc;

Ações: títulos negociáveis de empresas que representam uma fração de seu capital. As empresas emitem ações para expandir o capital social, e essas podem ser ordinárias (que dão poder de voto em assembléias deliberativas) ou então preferenciais (dão preferência na distribuição de resultados, mas não concede poder de voto);

After Market: se refere ao pregão eletrônico da Bolsa de Valores que ocorre após o final do expediente;

Alavancagem: é a prática de utilizar-se de recursos de terceiros para aumentar as possibilidades de lucro de uma empresa ou investidor;

Alíquota: esse termo é utilizado para se referir ao percentual que é aplicado ao se calcular o valor de algum tipo de imposto. Por exemplo, o ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) tem alíquotas pré determinadas pelo governo de cada estado para cada tipo de produto ou serviço. Os investimentos também estão sujeitos a aplicação de alíquotas.

Amortização: esse termo é utilizado em financiamentos e se refere à parcelas pagas antecipadamente. Pela amortização o valor total da dívida cai, fazendo com que o valor das prestações tenda a diminuir ao longo do período de financiamento;

Arbitragem: compra e venda de ativos entre os mercados entre dois ativos ou entre dois mercados, ou seja, com poucos riscos e pouca exposição;

Ativos (assets): se refere à bens, direitos e valores de uma pessoa física ou jurídica;

Benchmarking: processo que avalia o desempenho de um ativo financeiro em relação a outros títulos. O objetivo principal é comparar os procedimentos adotados pela empresa

com aqueles que são utilizados pelos concorrentes, tendo o foco em melhorar o desempenho da empresa;

Bear Market: mercado em baixa ou quando se espera uma queda nos preços (oposto de bull market);

BDI (Boletim Diário de Informações): é por ele que você pode acompanhar as operações e os índices da BOVESPA;

Break-even: se refere a um investimento que não gera nem lucro nem prejuízo. A empresa gasta quanto recebe, sem gerar dívidas;

CDB (Certificado de Depósito Bancário): títulos emitidos por bancos com prazo fixo, podendo ser um tipo de investimento pré-fixado, pós-fixado ou flutuante;

CDI (Certificado de Depósito Interbancário): esse é o tipo de investimento onde as instituições bancárias aplicam os chamados recursos excedentes, ou então captam renda de outro branco para ter mais liquidez;

CVM (Comissão de Valores Mobiliários): órgão responsável por fiscalizar o mercado de capitais do Brasil;

Companhia aberta: empresa que promove a colocação de valores mobiliários na bolsa de valores ou no mercado de balcão;

Commodities: matérias primas em estado bruto ou com pouca industrialização;

Day Trade: se refere a operação onde o mesmo investidor compra e vende, em um único dia, a mesma quantidade de ativos de uma única empresa;

Debêntures: títulos nominativos que representam as dívidas de médio e longo prazo de uma empresa;

Derivativos: se refere a instrumentos financeiros que o valor pode ser associado a outros ativos, muito úteis para planejamento estratégico;

Default: se refere a declaração de insolvência dada pelos credores quando as dívidas não são pagas no prazo estabelecido;

Disclosure: informações divulgadas por uma empresa;

Dividendos: se refere a parcela dos lucros de uma empresa que é direcionada aos acionistas;

EBIT (Earnings Before Interest and Taxes): sigla em inglês que tem por significado o lucro de um ativo antes da colocação de juros e impostos.

ETF (Exchange Traded Funds): sigla em inglês que se refere a fundos de investimento que possuem cotas negociadas na bolsa de valores. Um ótimo meio para realizar a diversificação da carteira;

Gap: fator que ocorre quando uma ação abre abaixo ou acima da média comparada com o dia anterior;

Hedge: operações feitas para proteger o investidor em casos onde haja risco em seus ativos e obrigações;

Holding: empresa que possui controle acionário de outra empresa ou grupo de subsidiárias;

Home Broker: é o sistema oferecido por inúmeras corretoras para conectar seus usuários ao pregão eletrônico pela internet;

IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo): esse índice é divulgado mensalmente pelo IBGE, a partir dele é calculada a inflação do país.

Liquidez: termo referente a capacidade de um título ser convertido em moeda. Pode-se dizer que a liquidez é a disponibilidade de caixa de uma empresa, e dos títulos negociáveis e ativos circulantes que possui;

Renda fixa: a modalidade mais indicada para novos investidores, isso porque, títulos de renda fixa pagam uma determinada quantia, ou seja, combina segurança e rendimento. Alguns exemplos de título de renda fixa são: caderneta de poupança, títulos do tesouro e certificados de depósito bancário (CDB);

Renda variável: exatamente o oposto dos títulos de renda fixa, esses tem rentabilidade conforme as condições do mercado. Esse tipo de título pode proporcionar um ganho muito maior que outros investimentos. Alguns exemplos de título de renda variável são: ações, commodities e os fundos de investimento e etc;

Rentabilidade: um dos termos mais utilizados e importantes no mercado financeiro, ele é utilizado para expressar a valorização ou desvalorização de um determinado investimento. esse é um dos termos mais importantes no mercado financeiro;

Taxa Selic: essa taxa é determinada pelo Banco Central e se refere ao juros da economia do país;

Tesouro Direto: são os títulos de renda fixa emitidos pelo Tesouro Nacional. Investimento de baixo risco;

Títulos privados: títulos de renda fixa emitidos por bancos ou empresas;

Títulos públicos: títulos pré ou pós-fixados emitidos pelo governo (federal, estadual ou municipal);

VAR (Value at Risk): mede qual a probabilidade de perda de uma determinada em diversos cenários econômicos;

Volatilidade: indica a média de variação da cotação de um um título durante um determinado período.

Esses são alguns dos termos mais utilizados no mercado de investimentos, cada um dele te auxilia a entender melhor os cenários e consequentemente a ter mais rendimento.

Conheça nossos simuladores
de investimento gratuitos

Simulador de carteira

O caminho mais curto entre dois pontos é uma reta. E o caminho mais curto para seus sonhos é investindo. Use nosso simulador de carteira e tenha tranquilidade para realizar o que deseja.

Comparador de fundos

A gente ainda não consegue te ajudar a escolher entre pizza ou hambúrguer, mas se você quiser comparar dois fundos de investimento fica fácil. É só clicar abaixo.

Simulador de Fundos

Tudo que você precisa saber para tomar decisões é observar os números. Com nosso simulador você terá rentabilidade histórica e outros dados que vão te ajudar a engordar seu cofrinho.

Reserva de emergência

Antes de sair por aí pedalando você precisou de rodinhas, não é? Assim é a reserva de emergência. Descubra com este simulador qual o valor ideal para a sua reserva.

Newsletter

Invista no seu futuro com mais conhecimento sobre educação financeira!
Assine nossa newsletter e aproveite a oportunidade de aprender a tomar decisões mais assertivas sobre seus investimentos.

Copyright © 2021 - Allê Robô Advisor Serviços Financeiros, Inovação e Tecnologia Ltda. - Allê Invest – Todos os direitos reservados.

Para maiores informações, dúvidas, reclamações, sugestões ou esclarecimentos, envie um email para consultoria@alleinvest.com.

Rua Dr Guilherme Bannitz, 126, 8 andar | Itaim Bibi | São Paulo | SP | CEP 04532-060

Allê Invest Consultoria é uma plataforma digital operada pela Allê Robô Advisor Serviços Financeiros, Inovação e Tecnologia Ltda. (Cnpj 36.276.804/0001-65). Todos os serviços de Consultoria de Investimentos, nos termos da CVM, são operados e de responsabilidade da ANDALUZ CONSULTORIA DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA., CNPJ 36.488.241/0001- 79, que exerce suas atividades também sob a marca Allê Invest e através desta plataforma tecnológica. A Robô Advisor Serviços Financeiros, Inovação e Tecnologia Ltda., por sua vez, não é uma instituição credenciada junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para prestar serviços de Consultoria de Investimentos, Assessoria de Investimentos ou de Gestão de Carteiras administradas, sendo tão somente uma plataforma digital que fornece tecnologia, facilita e intermedia a prestação de tais serviços , operando sempre através de seus parceiros devidamente regulados e licenciados. Usamos a terminologia "conta digital" para nos referir à gama de serviços de pagamentos e financeiros que oferecemos por meio de parceiros regulados. Atuamos como correspondente bancário de instituições financeiras nos termos da resolução 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 do Banco Central do Brasil. A Allê Invest não é uma instituição financeira, somos uma instituição de pagamentos que, de acordo com as regras da circular No. 3.885 do Banco Central, ainda é dispensada de autorização prévia pelos atuais níveis de volumetria. Direta ou indiretamente, a Allê Invest oferece experiência de "conta digital" através de parcerias que viabilizam a experiência de conta digital para pessoas físicas e jurídicas por meio de contas de pagamento (com serviços idênticos às de tradicionais contas corrente, como transferências TED, DOC e PIX e boletos) e outros produtos que podem ser agregados a qualquer momento.

Open chat